An accessible version of this website containing similar content may be found at: page.php?ctx=2,2,50

Medicina Veterinária - Univ. de Cornell

"Os métodos de capturar e abater, ou tentar encaminhar para adopção os gatos silvestres como forma de combater a crise da superpopulação destes animais, não funcionam. Os programas de CED travam a procriação desordenada dos gatos e melhoram a sua qualidade de vida. Os gatos silvestres não estão sociabilizados com os humanos e estão felizes por viver no exterior, mas isso não quer dizer que as suas vidas devam ser menos valorizadas que as dos gatos domésticos. Os gatos silvestres só necessitam de cuidados diferentes. Ao participar num programa de CED, os veterinários têm uma oportunidade única para garantir que estes gatos sem abrigo tenham uma melhor qualidade de vida."
Dra. Marcie Short, DVM, Veterinária
Indyferal

"Capturar-Esterilizar-Devolver (CED) em colónias controladas representa uma situação de ganho para os gatos silvestres, os seus protectores, os abrigos de associações locais e os cidadãos/contribuintes. Os protectores (e os seus gatos) beneficiam imediatamente do CED ao conter a população de gatos, convertendo assim uma situação descontrolada numa que é controlada e gerida.
Colónias de gatos silvestres controladas não representam um risco de superpopulação de gatos nem um risco de doenças para o público, e assim não há necessidade destes gatos serem capturados, confinados e abatidos, que era o modus operandi para o controlo de gatos bravios pelas autoridades municipais. Manter os gatos bravios em colónias controladas e fora dos abrigos permite às associações locais de defesa animal usar os seus parcos recursos em propósitos mais produtivos e ajudar os animais em necessidade.
As colónias geridas de forma apropriada reduzem aos contribuintes o fardo dos custos excessivos em controlo animal, reduzem queixas de incómodos relacionados com os gatos silvestres e protegem a saúde pública."
Gordon B. Stull, V.M.D., Director
County Feral Cat Iniciative, Burlington

"Uma estratégia de nada fazer não soluciona preocupações de saúde pública nem predatórias porque não diminui o número de gatos silvestres. Não resolve os problemas de bem-estar animal tanto para gatos silvestres como para os outros animais com os quais interagem. Finalmente, não fazer nada não diminui as queixas dos incómodos provocados pelos gatos silvestres, as quais podem ser a força motriz para alguns órgãos governamentais."
Margaret Slater, DVM, Ph.D. Professor de Epidemiologia
Faculdade de Medicina Veterinária, Universidade do Texas

"Sou um veterinário local que tem trabalhado com a Sociedade de Resgate Felino de Merrimac desde há 2 anos. Uma vez por mês recebo gatos silvestres para esterilizar/castrar e identificar através de um corte na ponta da orelha esquerda. As comunidades locais beneficiam muito com estes serviços: gatos silvestres esterilizados não procriarão, nem vaguearão ou lutarão tão frequentemente e a transmissão de doenças felinas infecciosas será contida. Eu estou satisfeito por ser associado com o SRFMR e com os seus voluntários, e por dessa forma aumentar a consciência da comunidade quanto aos gatos silvestres."
Pam Vilmot, DVM, Veterinário
Consultório Privado
Visite-nos em:FacebookTwitterYouTube
15261
ANIMAIS ESTERILIZADOS
até 18 - 08 - 2017
AJUDAS URGENTES
Ajuda Urgente
ADOÇÕES URGENTES
Adoçao Urgente