An accessible version of this website containing similar content may be found at: page.php?ctx=2,2,36

Dicas para alimentação de colónias

A alimentação de gatos silvestres pode depender de factores fora do nosso controlo. Quando os gatos vivem por trás de vedações, ou apenas tivermos acesso pontual ao seu território, o modo como alimentamos a colónia ficará condicionado. Basicamente, tentamos dar o nosso melhor, aproximando-nos o mais possível de uma situação ideal.

LOCALIZAÇÃO

Idealmente, o protector da colónia deve alimentá-la num local fixo, de fácil acesso, mas que não seja excessivamente visível ou acessível a outras pessoas. Esta medida protege os gatos e faz com que estes se sintam à vontade para voltarem ao ponto fixo todas as vezes que tiverem fome. Quando necessário, adaptamo-nos às circunstâncias do caso concreto. Por exemplo, se os gatos são alimentados através de uma vedação, podemos comprar uma vara extensível, como a que é usada em lojas para alcançar produtos que não estejam à mão. A vara deve ser usada para empurrar e puxar as malgas com água e comida de maneira a que saiam do alcance de alguém que esteja do lado de fora da vedação (mas não demasiado longe para que tenhamos sempre fácil acesso às mesmas com a vara). Se os gatos são alimentados num local de fácil acesso a outras pessoas, devemos procurar esconder o posto de alimentação, por exemplo com uma tábua ou um pedaço de madeira.

O CAT-CAFÉ

Existem muitas variantes de abrigos onde colocar comida e água. O abrigo deve ter espaço suficiente para um ou dois gatos e também para a comida e água. Além disso, este deve ser coberto para proteger a comida da chuva.
Uma ideia simples consiste numa caixa de madeira com um dos lados completamente aberto. É importante que um dos lados seja totalmente aberto porque se a abertura ou porta for demasiado pequena poderá apenas permitir abrigo a um único gato ficando os outros impedidos de entrar.
Também será possível adquirir uma caixa de plástico resistente e cortar uma das paredes, colocando-a a alguns centímetros de distância do solo, para prevenir inundações. Por ter uma tampa no topo, será fácil de limpar. A caixa deve ter o tamanho suficiente para que os bebedouros e comedouros caibam dentro dela.


 


 
Quando não é possível montar um abrigo na área de alimentação, podemos usar um truque para proteger a ração da chuva. Este consiste em colocar a ração seca dentro de um “tupperware” e pousar a tampa por cima, virada ao contrário. Isto permitirá ao gato alimentar-se, bastando para isso afastar a tampa com a pata para ter acesso à ração seca.
Dependendo da frequência com que pode colocar a comida, o protector da colónia pode considerar a hipótese de comprar comedouros e bebedouros automáticos. Se optar por essa possibilidade, o abrigo deverá ser suficientemente grande para os conter.

COMEDOURO AUTOMÁTICO


 
COMEDOURO ARTESANAL


 

CAPTURA

Se os gatos forem alimentados regularmente num local fixo e à mesma hora, o trabalho de captura para os submeter a um programa CED (Capturar-Esterilizar-Devolver) será muito facilitado. Não só por sabermos, a priori, onde se encontram os gatos, mas também porque poderemos colocar as armadilhas no local onde eles habitualmente se alimentam, o que levará a que os gatos entrem mais facilmente nas armadilhas.

INVERNO

A comida húmida, como por exemplo a comida enlatada, por conter uma maior percentagem de água, congela com o tempo frio. Por essa razão só deve ser facultada se tivermos a certeza que os gatos terão acesso a ela de imediato. A ração seca será, por isso, a melhor opção, salvo no caso dos gatos que dormem resguardados em abrigos como os acima descritos, uma vez que o calor libertado pelos corpos mantém o interior aquecido e evita que a comida húmida congele. No entanto, nunca devemos colocar água no interior do abrigo pois será facilmente entornada e aumentará a probabilidade dos gatos contraírem doenças. É importante manter os gatos quentes e secos no Inverno.

FORMIGAS

Uma maneira de evitar a propagação de formigas perto da comida dos gatos é criar um pequeno fosso, por exemplo: colocar água numa travessa e colocar o recipiente de comida no meio da travessa. A água à volta irá afastar as formigas da comida mas os gatos terão acesso fácil à mesma.

LIMPEZA

Muitas pessoas alimentam as colónias de gatos sem se preocuparem em deixar o espaço limpo e arrumado. É óbvio que esta situação provoca hostilidade na vizinhança contra a pessoa que alimenta os gatos e, consequentemente, contra estes também. Pelo bem-estar dos animais, bem como por respeito à vizinhança local, as zonas onde se alimentam os gatos devem ser limpas com frequência. Os recipientes de ração e água devem ser mudados e limpos diariamente, e nunca devem ser deixadas embalagens vazias ou restos de comida espalhados pelo chão. A alimentação de uma colónia de gatos, ainda que numerosa, não implica mais do que dois ou três recipientes de comida e água, que devem estar sempre limpos e preferencialmente dentro de um Cat-Café.

POSTO DE ALIMENTAÇÃO ERRADO DE UMA COLÓNIA NÃO CONTROLADA



 


 

POSTO DE ALIMENTAÇÃO DE UMA COLÓNIA SUBMETIDA AOS PROGRAMA CED



 

Visite-nos em:FacebookTwitterYouTube
15261
ANIMAIS ESTERILIZADOS
até 18 - 08 - 2017
AJUDAS URGENTES
Ajuda Urgente
ADOÇÕES URGENTES
Adoçao Urgente